Facebook Quinta | 18 Outubro 2018
Para fazer download do Flash Palyer, clique aqui.
Fontes e Estudos

Encomendar

 

Título: Aljubarrota 1385 - A Batalha Real
Autor: João Gouveia Monteiro
Ano de Edição: 2007
Páginas: 127

Sobre o Livro
Concebido para o leitor comum, sem formação especializada na área da História mas atento aos problemas culturais e curioso dos grandes temas do nosso passado, este livro é escrito de uma forma não excessivamente erudita, mas rigorosa e, tanto quanto possível, clara e sedutora. Inserido no âmbito de uma vasta coleção subordinada ao tema genérico “Batalhas de Portugal”, privilegia a vertente militar, sem contudo esquecer completamente as restantes, que lhe servem de moldura e lhe dão sentido próprio.
 
Sobre o autor
João Gouveia Monteiro é professor da Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra, lecionando preferencialmente as disciplinas de História da Idade Média e História Militar de Portugal. É autor de cerca de cinquenta trabalhos, entre os quais seis livros, destacando-se a Guerra em Portugal nos finais da Idade Média (1998). Entre 1995 e 2001, coordenou uma equipa da Universidade de Coimbra que realizou diversos trabalhos de investigação científica no Campo Militar de São Jorge, dos quais veio a resultar a obra coletiva Aljubarrota Revisitada (2001).
 
 
 
 

 

 
Título: Jean Froissart, Crónicas - Duas passagens relativas a Aljubarrota
Tradução: Ana Sofia Laranjinha
Notas críticas: Mário Jorge Barroca
Ano de Edição: 2008
Páginas: 95

Sobre o Livro
No âmbito da política editorial estabelecida pela Fundação Batalha de Aljubarrota, foi decidido disponibilizar ao grande público português as principais fontes medievais sobre a batalha travada nos campos de Aljubarrota ao fim da tarde do dia 14 de agosto de 1385. Dentro dessas fontes foi dada prioridade ao testemunho de Jean Froissart (c.1337-c.1404) por se ter considerado que era o menos acessível aos interessados portugueses, uma vez que ele se encontra redigido em francês medieval e que não conheceu, até hoje, nenhuma edição ou tradução em Portugal. A tradução que agora se apresenta a público incide sobre passagens das Chroniques de Jean Froissart respeitantes à Crise de 1383-1385 e à Batalha de Aljubarrota. Foi realizada a partir do texto estabelecido por León Mirot e publicado em Chroniques de J. Froissart. Troisième Livre. Publié pour la Société de l’Histoire de France (Série antérieure à 1789), par León Mirot, Tome Douzième (13856-1388), Paris, Librairie Ancienne Honoré Champion, 1931.
 
Sobre a tradutora e o coordenador 
Ana Sofia Laranjinha é Professora Auxiliar da Faculdade de Letras da Universidade do Porto, onde se doutorou em 2005 e onde leciona Literatura Medieval. Tem centrado a sua investigação na área da literatura medieval francesa e portuguesa, interessando-se especialmente pelo romance arturiano em prosa do séc. XIII. É autora de diversos estudos, nomeadamente: «Escriture et réécriture dans le Lancelote en Prose: la prison d’amour», Actas del XII Simposio de la Sociedad Española de Literatura General y Comparada, Universidad de Huelva, 2000. «O rei, o mago e o Guerreiro – procesos analógicos na Suite du Merlin», Matéria de Bretanha em Portugal (Actas do Colóquio), Lisboa, Colibri, 2002, «La fontaine aux fées dans le Lancelote n Prose, roman anonyme du XIIIème siècle», Revista da Faculdade de Letras – Línguas e Literaturas, II série, XXI, Porto, 2004.
 
Mário Jorge Barroca é Professor Associado com Agregação da Faculdade de Letras da Universidade do Porto, onde se doutorou em 1996 e onde leciona Arqueologia Medieval. Tem vindo a dedicar-se às áreas da Castelologia, do Armamento Medieval, das Residências Senhoriais e da Epigrafia. É autor de mais de uma centena de estudos, de entre os quais: Do Castelo da Reconquista ao Castelo Românico (Séc. IX a XII, Lisboa, Comissão Portuguesa de História Militar, 1994; Epigrafia Medieval Portuguesa (862-1422), 4 vols., Lisboa, FCG-FCT, 2000; História da Arte em Portugal, vol. II, O Gótico, Lisboa, Ed. Presença, 2002 (em colab. Com Carlos Alberto Ferreira de Almeida); “História Militar de Portugal – I Parte – 1096-1325”, in Mattoso, José (coord. de), Nova História Militar de Portugal, vol. I, Idade Média, Lisboa, Círculo de Leitores, 2003; Terena – O Castelo e a Ermida da Boa Nova, Lisboa, IPPAR, 2007.
 
 
 
 

 
Título: Memórias, documentos avulsos e epígrafes relativos à Batalha de Aljubarrota
Seleção e notas: Mário Jorge Barroca
Ano de Edição: 2008
Páginas: 144

Sobre o Livro
Como se sabe, as fontes históricas sobre a Batalha de Aljubarrota são relativamente limitadas em número, embora ricas em pormenores. É preocupação da Fundação Batalha de Aljubarrota promover a divulgação de estudos com elevado nível de qualidade científica sobre a Batalha de Aljubarrota bem como potenciar as condições de investigação histórica e arqueológica em torno deste tema. É dentro desta segunda linha de preocupações que se insere o presente volume, o segundo tomo desta coleção onde se procede à publicação de fontes primárias sobre a Batalha Real.
 
O coordenador
Mário Jorge Barroca é Professor Associado com Agregação da Faculdade de Letras da Universidade do Porto, onde se doutorou em 1996 e onde leciona Arqueologia Medieval. Tem vindo a dedicar-se às áreas da Castelologia, do Armamento Medieval, das Residências Senhoriais e da Epigrafia. É autor de mais de uma centena de estudos, de entre os quais: Do Castelo da Reconquista ao Castelo Românico (Séc. IX a XII, Lisboa, Comissão Portuguesa de História Militar, 1994; Epigrafia Medieval Portuguesa (862-1422), 4 vols., Lisboa, FCG-FCT, 2000; História da Arte em Portugal, vol. II, O Gótico, Lisboa, Ed. Presença, 2002 (em colab. Com Carlos Alberto Ferreira de Almeida); “História Militar de Portugal – I Parte – 1096-1325”, in Mattoso, José (coord. de), Nova História Militar de Portugal, vol. I, Idade Média, Lisboa, Círculo de Leitores, 2003; Terena – O Castelo e a Ermida da Boa Nova, Lisboa, IPPAR, 2007.

 

© Fundação Batalha de Aljubarrota - Todos os direitos reservados | Política de Privacidade
Av. D. Nuno Álvares Pereira, nº 120, São Jorge.
2480-062 Calvaria de Cima
Telefone: 244 480 060
Fax: 244 480 061